Depois de uma merecida pausa festiva, é uma boa altura para verificar como está o teu Android em termos de segurança. Há um conjunto de passos que formam uma receita simples, mesmo para iniciantes, que permitirão evitar surpresas desagradáveis com o teu smartphone.

A história está repleta de invenções que mudaram a forma de viver, trabalhar e de como “gozamos” do nosso lazer. E não será difícil de concluir que o smartphone é o dispositivo que agrega mais funcionalidades de sempre. Transformou-se no nosso melhor confidente – os nossos amigos, os nossos passos, os nossos documentos estão armazenados num pequeno dispositivo que tem uma capacidade de processamento e armazenamento que espanta os engenheiros que estiveram na génese do ENIAC, por exemplo. E ainda por cima está conetado em rede! Sim, a febre da conetividade que vivemos abre um manancial de funcionalidades, mas igualmente abre a porta a intrusos.

Audite o seu Android num pequeno número de passos

Atualizações
As atualizações do Android e das aplicações que temos instaladas são um passo simples, ao qual fugimos muitas vezes ou porque consome o nosso tempo ou a bateria. Mas será preciso compreender a razão destas existirem para ficarmos mais atentos e preocupados. As atualizações aparecem para corrigirem bugs, introduzir novas funcionalidades mas também para corrigirem falhas de segurança e desempenho que foram entretanto reportadas. Existem uma série de ameaças que desaparecem se o utilizador tiver o cuidado de manter sempre o sistema actualizado.

Que serviços e aplicações estão ligadas à tua conta

Uma visita à Google App Store após a leitura de artigo sobre uma nova aplicação que faz maravilhas, um simples clique e entramos em piloto automático. Com vontade de testar a aplicação que oferece o admirável mundo novo e, muitas vezes, de forma gratuita, faz com os consecutivos cliques deixem a nossa visão turva. De uma forma descontraída aceitamos que a aplicação aceda a nossa localização, aos nossos contactos e até que faça publicações nas nossas redes sociais. Mas, como popularizou Milton Friedman: “There is no free lunch”, ou seja, as empresas que desenvolvem software procuram entender os nossos hábitos e assim conseguirem valor acrescentado para os seus produtos, conhecendo mais profundamente o comportamento dos vários utilizadores.

Sugiro uma visita à página de preferências de segurança do Google para entenderes o que cada aplicação consegue aceder. Qualquer tipo de aplicação com acesso suspeito, por exemplo aos nossos contactos, estará à distância de um clique para a remoção dessa permissão. E se aparecer alguma aplicação que o nome não te seja familiar ou nem apareça visível, é altura de ficares preocupado e rapidamente removeres a App. Se tal não for possível, restaura de imediato os parâmetros originais do teu smartphone.

Dispositivos conetados e autorizações

Cada vez que acedemos à nossa conta num qualquer dispositivo, senão formos cautelosos, o dispositivo fica associado à conta. Uma visita à página de dispositivos conectados no Google permite perceber isso. Na referida página podes sempre desassociar os dispositivos que pretenderes. Deve ser prestada, mais uma vez, uma especial atenção se aparecer algum dispositivo que não te seja familiar.

Todos os dispositivos que usaste e usas têm acesso à tua conta (depois de uma primeira autorização) à loja Google App Store. Todos os que já não usas ou não reconheces devem ser apagados. Para isso, vai à zona de autorizações da App Store e reconfigura as tuas permissões.

As ligações Bluetooth também são uma ameaça. O Bluetooth deve, por norma, estar desligado quando não é usado. É que além do fator segurança, representa uma poupança acrescida na bateria.

Android Device Manager

O Android Device Manager é uma ferramenta muito importante quando se perde o rasto do telemóvel. Mas para este estar funcional deverá estar ativado. Em caso de emergência pode, além de detetar a localização do dispositivo, forçar um toque audível do mesmo, bloquear ou, em casos mais delicados, apagar remotamente todos os teus dados, evitando assim o acesso a informação sensível por parte de terceiros. Esta funcionalidade pode ser acedida por aqui.

Android’s Verify Apps

Uma funcionalidade a descurar é a possibilidade que o Android tem de verificar a corrida de código malicioso proveniente de aplicações de terceiros instaladas. Sempre que uma atividade suspeita é detetada o utilizador recebe um aviso para evitar que algo de indesejado ocorra. Certifica-te que na secção de segurança em Google Settings tens ativa a opção: “Scan device for security threats”.
A verificação ocorre em background, não perturbando o funcionamento.

Aspetos básicos de segurança

A porta de entrada para o acesso a todas as funcionalidades e aplicações que orbitam no universo Android é a tua palavra-passe de acesso à conta do Google. Deves assim ter um especial cuidado quando acedes de computadores partilhados e, em especial, de cibercafés. Não é igualmente seguro aceder à Internet recorrendo a hotspots que permitem o acesso livre e sem proteção. Estes hotspots de acesso livre (sem WEP/WPA/WPA2) são, muitas vezes, usados para bisbilhotar o tráfego dos dispositivos de quem inadvertidamente se liga. Uma password robusta que inclua sempre mais de oito carateres, números e letras e não seja uma palavra do alfabeto são sempre a melhor escolha. Deve igualmente ser regularmente alterada. E, claro, é cómodo ter uma único password para acesso a vários serviços e aplicações: nunca o faças!

Instalação de aplicações

As aplicações prometem sempre milhentas novas funcionalidades, mas será que realmente o fazem? Será que além das funcionalidades não levantam brechas de segurança no dispositivo? Questiona-te sempre da vantagem acrescida da aplicação e lê reviews que atestem as funcionalidades e segurança da instalação da mesma. E lembra-te que um dispositivo com a memória lotada perderá sempre alguma performance.


 

Resumindo, bom senso e o respeito por um conjunto de regras simples evitará dissabores ao utilizador. O teu dispositivo agrega informações pessoais e profissionais que não queres que circulem aos olhos do mundo.